Histórico
voltar


O Instituto de Física de São Carlos (IFSC), da Universidade de São Paulo (USP), teve sua origem na Escola de Engenharia de São Carlos (EESC), fundada em 1954, quando constituía o seu Departamento de Física. Em 1971, em virtude da reforma universitária, passou a fazer parte do Instituto de Física e Química de São Carlos (IFQSC), tendo sido finalmente criado como tal em 1994, com o desdobramento do antigo IFQSC.

Desde sua origem mostrou vocação em pesquisa em diversas áreas da física, sobretudo na área de Estado Sólido, e, hoje o IFSC abriga projetos de pesquisa que transpõem as fronteiras da física. Possui uma produção científica de nível internacional,além de uma forte participação dos docentes em eventos científicos, nacionais e internacionais.

Destacamos também que o IFSC, através de seus grupos de pesquisa, obtém um grande volume de recursos extra-orçamentários voltados à pesquisa. O Departamento de Física e Ciência dos Materiais (FCM) abriga atualmente o Instituto do Milênio de Materiais Poliméricos(uma rede nacional de grupos de pesquisa sediada em São Carlos), o Centro de Pesquisa em Óptica e Fotônica (CePOF-um dos CEPIDs financiados pela FAPESP), um núcleo de excelência (PRONEX) do CNPq, intitulado Centro de Óptica Básica e Aplicada, além de participar do CEPID denominado Centro Multidisciplinar para o Desenvolvimento de Materiais Cerâmicos, e vários projetos temáticos. O Departamento de Física e Informática(FFI) com vários auxílios a pesquisa provenientes de órgãos de fomento nacionais e internacionais, sedia um Centro de Pesquisa, Inovacão e Difusão – CEPID/FAPESP, intitulado Centro de Biotecnologia Molecular Estrutural(CBME), conta com um Núcleo de Excelência do MCT/PRONEX, diversos Projetos Temáticos da FAPESP, e projetos em colaboração com empresas apoiados pela FAPESP e pelo Fundo Verde Amarelo do MCT, Human Frontiers Science Program e Projetos da Comunidade Européia.

O prestígio que estes centros e núcleos trazem, além de facilitar a obtenção de recursos de várias agências de fomento, tem feito com que bons estudantes realizem seus trabalhos de pesquisa no IFSC. Os núcleos existentes também fizeram com que o número de pós-doutores aumentasse bastante devido à maior facilidade de se conseguir bolsas e também pelo atrativo de se trabalhar em grupos de destaque no cenário nacional.

O programa de Pós-graduação nos níveis de Mestrado e Doutorado em Física foi formalmente registrado em 1975, com áreas de concentração em Física Básica e Física Aplicada, tendo a sua primeira avaliação pela CAPES em 1979 obtendo o conceito A. Desde então vem sendo obtendo nota máxima na avaliação CAPES (atualmente é nota 7), o que mostra estarmos no caminho certo e em concordância com a vocação inicial do IFSC.

O programa inter-unidades em Ciência e Engenharia de Materiais envolvendo o IFSC, IQSC e a EESC começou em 1993. Este programa envolve orientadores de todas as Unidades participantes, cabendo ao IFSC a gerência administrativa do mesmo.

Além do ensino e pesquisa, o IFSC mantém ainda uma intensa atividade de extensão iniciada com o CDCC (dirigido por um professor do IFSC) é outro aspecto que pode ser mensurado como pode ser visto no item 5, trabalho esse cada vez mais voltado para o atendimento das necessidades de nossa sociedade.

O CDCC mantém em regime permanente atividades ligadas aos Ensinos Fundamental e Médio, a reciclagem de professores, e um museu vivo de ciência. Por outro lado, procuramos divulgar junto aos meios de comunicação os resultados práticos alcançados em nossa instituição, mostrando que ela tem um papel social relevante tanto no desenvolvimento de novas tecnologias como na resultante geração de empregos. Também procuramos difundir a ciência pela publicação de artigos em jornais, exposições, cursos para alunos do Ensino Médio, produção de vídeos educacionais, etc.

Destacamos alguns programas e atividades sociais:

1. FAPESP/CEPID/PROCESSO No. 1998/14324-0 - CENTRO MULTIDISCIPLINAR PARA O DESENVOLVIMENTO DE MATERIAIS CERÂMICOS: Neste projeto desenvolvemos atividades de educação em ciências para crianças carentes matriculadas em escolas de nível fundamental e médio da cidade de São Carlos. Também efetuamos atividades de ensino para escolas de nível médio pública e privada para várias cidades do Estado de São Paulo.

2. Programa Acesso: Projeto para apoio de alunos da escola pública para ingresso na USP - curso de Física.

3. Terapia Fotodinâmica para tratamento do câncer: Desenvolvimento da técnica de PDT no Brasil. Locais associados: Jaú, Ribeirão Preto. Já atendeu aproximadamente 400 pacientes.

4. Odontologia - Araraquara – UNESP: Treinamento de estudantes de odontologia para a utilização do laser no tratamento dentário, aproximadamente 60 estudantes de graduação já foram treinados.

5. Semóptica e demais atividades de difusão (inclusive entomóptica): Programa de difusão do conhecimento da área de óptica em vários níveis educacionais (geral, básico, médio, superior). Estas atividades já são realizadas há 8 anos e já abrangeram 30.000 pessoas da região de São Carlos.

6. Apoio à Policia Militar: Desenvolvimento de câmara para visualização noturna de eventos com grande aglomeração.

7. Programa Vida e Ciência:Programa semanal na TV Comunitária de São Carlos, levando ciência e educação.

8. Programa Nota Mil: Programa semanal na TV Comunitária de São Carlos, levando ciência e educação.

9. Convênio com a Fundação Nacional do Meio Ambiente: Montagem de uma infra-estrutura para ensinar crianças do ensino fundamental.

10. Convênio com barco e ônibus do conhecimento: Dentro de barco cedido pela Marinha do Brasil e em parceria com a ONG Mãe Natureza de Barra Bonita, leva-se o conhecimento da óptica aplicada ao meio ambiente às cidades ribeirinhas de Barra Bonita e região. Possui uma ala no memorial do Rio Tietê em Barra Bonita para atender turistas e escolas da região ( área de 300m2 ). Com uma unidade móvel (ônibus) são percorridas várias cidades do Estado de São Paulo para atendimento de pessoas para monitoramento, educação ambiental e ensino da ótica.

11. Coluna dominical nos jornais: na trilha dos cientistas:Textos de fácil leitura, descrevendo feitos e a vida de eminentes cientistas.

12. Programa Olho Vivo: Visa fazer exames oculares gratuitos em trabalhadores rurais, trabalhadores da polícia militar e prefeituras.

13. Vinhetas em rádio: Entrevistas com pesquisadores para difusão de conhecimento pelo rádio.

14. TV Senado, TV Câmara e Rede Mundial de Televisão Programação de ciência e tecnologia que vão ao ar em cadeia nacional.

15. Imagens Termográficas (projeto a ser submetido à agência de fomento) Geração de imagens de infravermelho para uso clínico.
A Teletermografia é uma tecnologia de produção de imagens geradas a partir da captação do infravermelho emitido pelo corpo humano devido à regulação térmica. Detectar alterações nas emissões de infravermelho do corpo humano é importante para o médico obter informações de grande valia no auxílio ao diagnóstico de síndromes dolorosas agudas ou crônicas, ou mesmo as respostas destas dores aos analgésicos e antiinflamatórios.
A Teletermografia tem se mostrado uma ferramenta bastante útil de pesquisa clínica na verificação da eficácia de drogas como analgésicos, antiinflamatórios, anti-tumorais e vasoativas.

16. Centro de Biotecnologia Molecular Estrutural (CBME) CEPID/FAPESP Proc. 98/14138-2

16.1.Recursos didáticos: 
16.1.1) Kits de peças plásticas flexíveis para montar moléculas de DNA e RNA; Jogos de cartas (Aminotrunfo e Aminocartas), propondo uma dinâmica para familiarizar os alunos com as estruturas químicas e características dos aminoácidos e nucleotídeos e visualizar a estrutura tridimensional dos ácidos nucléicos e proteínas; 
16.1.2) “A célula”, um software interativo sobre a morfologia e função dos componentes celulares, visualizados nas células vegetal, animal e procariótica;
16.1.3)Jogos, p.ex. “síntese protéica”, contendo o desenho do interior de uma célula, com suas estruturas e organelas, apresentando como dinâmica o entendimento dos processos de transcrição, tradução e síntese de proteínas.; 
16.1.4) Discos rotatórios de aminoácidos e o de nucleotídeos, contendo as características bioquímicas dos aminoácidos e nucleotídeos com suas respectivas fórmulas estruturais e nomenclaturas; 
16.1.5) Exposições: Show-room de nossos produtos em eventos (feiras e congressos) relacionados com ciências, com o objetivo de aproximar a comunidade científica que produz o conhecimento com a sociedade;
16.1.6) Jornal impresso: Com o intuito de alcançar a escola (professores e alunos do ensino médio), contém informações e ações do CBME, além de conteúdos didáticos capazes de auxiliar o professor e alunos sobre conceitos relacionados à Biologia Molecular e a Biotecnologia; 
16.1.7) Cursos, palestras, dinâmicas e oficinas: Cursos temáticos de atualização/capacitação para professores; Cursos experimentais para os alunos do ensino médio, em parceria com o Centro de Divulgação Científica e Cultural (CDCC/USP); Cursos em outras Universidade, ministrados por pesquisadores, doutorandos e pós-doutorandos; Palestras ministradas pelos pesquisadores e equipe de difusão do CBME para todos os níveis; Oficinas e dinâmicas oferecidas em encontros e congressos focalizando a Biologia Estrutural.

17. Imagens por Ressonância Magnética para uso Clínico Convênio USP – Santa Casa de Misericórdia de São Carlos: Equipamento de Ressonância Magnética Nuclear de 0,5 Tesla, desenvolvido pelo Grupo de Ressonância Magnética do Instituto de Física de São Carlos/ USP e instalado em parceria com a Santa Casa de Misericórdia de São Carlos no Centro Integrado de Diagnóstico por Imagem.
Este equipamento atende todas as indicações para exames de ressonância magnética do SUS e de vários convênios particulares na região de São Carlos e cidades vizinhas, sendo referência pelo SUS para esta região. Já foram realizados mais de 2700 exames neste equipamento.

18. Programa "Menor Aprendiz"
Termo de Convênio de Iniciação ao Trabalho, firmado entre a USP-IFSC e o CEFA - Centro de educação e Formação ao Adolescente “Professor Cid da Silva César”, através do qual admitimos menores aprendizes em tarefas administrativas que são desenvolvidas em ambiente e condições propícias a seu bem-estar e crescimento individual, sob acompanhamento técnico e com respeito à sua intelectualidade. Objetivamos a sua preparação para a convivência profissional e social, bem como para o seu futuro ingresso no mercado de trabalho.

Asseguramos ao Menor Aprendiz treinamento introdutório, orientando-o sobre os valores e procedimentos do trabalho e informando-o sobre a organização e funcionamento da Universidade, bem como dando orientações gerais sobre higiene e segurança no trabalho, normas gerais de proteção ao trabalho do menor, noções de cidadania e de convivência comunitária, familiarização com professores, funcionários e alunos, familiarização com procedimentos pertinentes à infraestrutura geral, metas dos programas de reciclagem de materiais, realização de tarefas administrativas diversas.