Cultura e Extensão - Atividades
voltar


As atividades de cultura e extensão são um processo educativo e científico, que agem com base na pesquisa e servem de apoio para o ensino. Na prática, elas transferem conhecimento e tecnologia de dentro para fora da Universidade. Essas atividades põem a relação entre universidade e sociedade em serviço do maior objetivo da Universidade de São Paulo, que é a boa formação dos alunos vinculados à instituição.

Por atender a este objetivo da Universidade, as atividades de extensão fazem parte da tradição do Instituto de Física de São Carlos (IFSC), tradição que se consolidou com a criação do Centro de Divulgação Científica e Cultural (CDCC).

O Centro promove atividades que facilitam o acesso da população aos meios e aos resultados da produção científica e cultural da Universidade, com o objetivo de despertar o interesse dos cidadãos, principalmente dos jovens, pela ciência e pela cultura. O envolvimento dos estudantes da USP, principalmente dos que cursam Licenciatura, é também muito importante, já que o contato com o público leigo é uma experiência enriquecedora para aqueles que trabalham ou trabalharão com o ensino.

Além disso, o envolvimento de alunos em atividades de extensão, juntamente com a Iniciação Científica, é um dos principais instrumentos de que o IFSC dispõe para inserir seus alunos de graduação no rico ambiente científico-tecnológico que seus prédios abrigam. A tradição de integrar pesquisa e extensão, ou Universidade e sociedade, explica por que o IFSC é o único Instituto do Estado de São Paulo que sedia mais de um Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPID) e mais de um Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia.

Os CEPIDs têm como missão, além da pesquisa básica ou voltada para a inovação, o desenvolvimento de mecanismos efetivos de transferência de conhecimento para a sociedade. De fato, boa parte das atividades de extensão é desenvolvida por meio dos CEPIDs, sendo então vital a relação destes Centros com o IFSC para a ampliação do conjunto de atividades oferecidas à comunidade, com destaque para a geração de material pedagógico, palestras sobre ciência e tecnologia e cursos de extensão, entre outros.

Docentes do IFSC coordenam dois CEPIDs: o Centro de Pesquisa em Óptica e Fotônica (CePOF), o Centro de Biologia Molecular e Estrutural (CBME), e são responsáveis pelas atividades de um terceiro, o Centro Multidisciplinar para Desenvolvimento de Materiais Cerâmicos (CMDMC). Desde suas implementações, estes Centros têm desenvolvido atividades de extensão que já são consideradas tradicionais para a comunidade são-carlense. A Semóptica é um bom exemplo destes programas, que beneficiam desde donas-de-casa, estudantes de ensino fundamental e médio, até pesquisadores das mais diferentes áreas do conhecimento. Outro exemplo é a atividade de Pré-Iniciação Científica, que beneficia estudantes do ensino médio, incluindo estes alunos no meio acadêmico e tornando-os mais familiarizados com o processo de construção do conhecimento.

Além das atividades vinculadas aos CEPIDs e ao CDCC, o IFSC oferece outros programas de extensão, tais como a Olimpíada Brasileira de Física e o programa “Ciência às 19 horas”.


Atividades de cultura e extensão no âmbito dos CEPIDs:

CMDMC - Centro Multidisciplinar para Desenvolvimento de Materiais Cerâmicos

CePOF - Centro de Pesquisa em Óptica e Fotônica

CBME - Centro de Biologia Molecular e Estrutural


Fora do âmbito dos CEPIDs, há ainda outras atividades de tradição relacionadas à extensão universitária no IFSC:

Ciência às 19 horas

Olimpíada Brasileira de Física


Relatórios:

Relatório de Atividades 2008